COMPLEXO DE PISCÍNAS

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Doroty Louise Kaztemburg
Policiais

Postado em Qui Jul 28, 2016 2:13 am


same old shit



I'm not spending any time, wasting tonight on you. You know, I've heard it all, so don't you try and change your mind cause I won't be changing too, you know. You can't believe, still can't believe it, you left in peace, left me in pieces, too hard to breathe, I'm on my knees right now.

O detetive Michaels mais parecia um lunático entusiasta de Sherlock Holmes, que perambulava de um lado pro outro com o revolver um punho, gritando "EUREKA! DESCOBRI UMA PISTA!". Apesar dessa minha visão satirizada que tinha dele, nos dávamos bem. Enquanto ele cumpria seu papel quase sobrenatural de adivinhar o que aconteceu, eu parti para fontes mais seguras. Telefonei para que o IML viesse buscar o corpo e efetuar uma perícia segura, e em seguida me dirigi até os jovens que continuavam ali, com expressões vazias e evidentemente sobriedade longe. - E então? O que aconteceu por aqui? - perguntei diretamente, enquanto retirava uma caderneta do bolso interno do terninho para anotar os detalhes. Segundo relatos, a festa acontecia naturalmente até uma mulher mascarada chegar e atingir o garoto - Jerry, era seu nome - com uma garrafa na cabeça. - Ela era uma das convidadas? - arqueei uma sobrancelha. Eles não tinham certeza, mas acreditavam que não. - Certo... Vocês conheciam esse menino Jerry? Ele tinha motivos para ser morto de dessa maneira? - perguntei tentando juntar as peças. Segundo os caras, ele era bem rico e famoso entre a universidade, e herdava uma empresa no segmento odontológico. Certo. Quem é a dona da festa? - eles então apontaram para uma menina com cabelos cor de mel, que se encontrava com o telefone em um dos cantos da área.

- Olá. Qual seu nome? - perguntei me aproximando da garota com cuidado, que aparentemente levou um susto. Ela então respondeu que seu nome era Melanie Stoker, e eu segui com as mesmas perguntas que havia feito para os outros jovens. Ela confirmou a história de que a assassina havia surgido do nada e que havia matado Jerry a sangue frio com uma garrafa em sua cabeça. Em seguida ameaçou os convidados e se retirou, sem machucar mais ninguém. Ela também confirmou que não acreditava ser um dos convidados da festa, que não sabia porque alguém mataria Jerry, e salientou que o conheceu naquele dia. - Eu acho que é só isso.... Em seguida, Melanie perguntou assustada se teria que ir pra delegacia. - Não sei dizer. Talvez o delegado queira fazer mais algumas perguntas para você e suas amigas. A garota parecia frustada, insistindo que não sabia de nada. De repente, uma mulher alta morena adentrou a área da piscina, e se dirigiu até nós com urgência, perguntando por Melanie, e se assustou ao ver o corpo ainda boiando na piscina. - Desculpa, você é...? - perguntei para a mulher, que se identificou como Mackenzie Looken, a famosa socialight herdeira do Hotel e irmã de Melanie. - Oficial Kaztemburg - sorri e a cumprimentei. - Então... Estamos apurando o caso, senhorita Looken. Talvez você e sua irmã terão que me acompanhar até a delegacia, apesar de você nem ter estado na festa... Sabe como são procedimentos policiais - forcei um sorriso. - Por hora é só. Com licença - me afastei das garotas e me aproximei do detetive Michaels e da oficial Czarevich. Michaels se pôs a falar várias informações que havia decifrado com seu talento sobrenatural de analisar perímetros, cujas quais eu já sabia por ter apurado com testemunhas. - Eu sei - um sorriso maligno surgiu em meus lábios. - Uma mulher mascarada, cerca de um metro e oitenta de salto alto, acertou uma garrafa na cabeça do garoto e foi embora. Dizem que o tal Jerry era meio egocêntrico, mas aparentemente não tinha inimigos ou motivo para ser morto desse jeito. O IML está a caminho e... - olha! Ele tinha digitais. - Algumas garotas Lexi Campbell e Stella Mustange podem ter imagens da assassina. Elas serão levadas pra depor na delegacia. Acho que é só - mordi o lábio - Acham que devemos levar essas garotas para a delegacia? - perguntei me voltando para Alaska, que geralmente tinha uma visões e opiniões boas sobre a situação.


modèle créé par weird pour Lotus Graphics!


avatar
Mensagens : 8

Data de inscrição : 24/07/2016

Policiais
Alaska Blërn Czarevich
Policiais

Postado em Qui Jul 28, 2016 5:25 pm

bless your heart
for the lives we waste
Era para ser apenas um plantão normal, com muito café, rosquinhas e alguns casos que dificilmente merecia a atenção do setor de investigação. Era assim antes do atentado de dois anos, e após o evento deste. Autum Valley, uma cidade pacata e tranquila tinha seus altos e baixos, mas não a ponto de atacarem ou matarem alguém em meio a uma festa.

Até agora.

Após ser convocada na sala do delegado junto de Harry e Doroty, não fiquei espantada, apenas surpresa. O nível da sagacidade do suspeito ou suspeita, além da certeza que não seria pego deixava o caso cada vez mais interessante. Passei o caminho todo pensativa, matutando do motivo do ataque repentino... Ou deveria dizer, premeditado?

Com a face impassível adentrei o mar de paparazzi que cercavam o hotel luxuoso, com repórteres fazendo perguntas e mais perguntas sobre o homicídio. Não parei para gastar saliva, eu sabia que se falássemos qualquer coisa, os repórteres sensacionalistas publicariam o que achavam que deveriam, ou seja, aumentando a história e deixando escapar detalhes cruciais do caso.

Assim que adentramos o hall de entrada nos deparamos com alguns funcionários do hotel que nos fitavam apreensivos. — Por favor, não deixe que ninguém que esteve na festa saia deste hotel, pode ser que o algum suspeito esteja entre eles. — Solicitei e tive o aceno de cabeça em concordância.

Acompanhei meus colegas até a cena do crime que parecia mais uma obra de arte em tonalidades escuras. A água que antes deveria ser transparente tinha a coloração escarlate oriunda do corpo da vitima. O jovem boiava na água sem nenhum resquício sequer de vida. Agachei-me na beira da piscina, observando os cortes com atenção, as íris claras fitaram as mãos do loiro notando nenhum resquício de pele sobre as unhas, arranho ou arroxeado que geralmente são apresentados quando a vitima entra em luta corpo a corpo. Naquele caso em especifico, o rapaz não tivera nem a chance de fitar seu algoz.

Que desperdício. — balancei a cabeça com suavidade, chegara a ser um pecado retirar a vida de alguém jovem, que provavelmente, conquistara vários e várias, não só pelo dinheiro mas também pelo charme.

Cada um começou sua função. Eu, por outro lado, retirei minha pistola 9mm do meu coldre e adentrei nos cômodos próximos a procura de algum cúmplice aproveitando o trajeto para despachar os jovens drogados e bêbados. — Todos para o hall do hotel, imediatamente. — Ordenei, acompanhando o ultimo grupo no ponto de encontro.

Pelo azar, não tive sucesso na inspeção, porém a tecnologia e o vicio pelas redes sociais seria ironicamente de grande ajuda. — Hey, vocês dois. — Meus passos levaram-me até dois rapazes, sendo que um deles portava a maquina fotográfica no pescoço. — Precisarei delas para a investigação, assim que verificarmos as provas estarão sã e salvas de volta para seus respectivos donos. — Não foi bem um pedido em vista que minhas mãos agiam enquanto soltava as palavras dos lábios carnudos, pegando a maquina dos donos com toda a delicadeza que eu não tinha.

Girei os tornozelos á caminho de Harry e Doroty, sendo que o primeiro já trabalhava com suas teorias. De fato, o Oficial Michaels era um ótimo detetive e tinha sempre algo na ponta da língua, assim como sua observação afiada. — Sem sinal de luta corporal, o bonitão simplesmente morreu. — Ok, não conseguia manter-me totalmente séria, mesmo estando em na cena do crime. Meu humor e sarcasmo era conhecido por todo o departamento. — Ótimo Michaels, mas algo está faltando. A assassina, como foi descoberto, conhecia exatamente o lugar e sabia por onde fugir e quando fugir. Aparentemente ela já esteve aqui, estudando a lucidez dos convidados assim como a vitima para em seguida dar o xeque mate. O crime definitivamente fora premeditado, alguém precisava dele morto, mas por que? — Mordi a ponta do dedo, um vicio que adotei sempre quando matutava alguma situação, porém meus devaneios foram dissipados ao escutar a voz de Kaztemburg que questionava sobre o destino das garotas ricas de Autum Valley. — Sim, precisaremos de um breve relato a respeito dos acontecimentos de antes, durante e após a festa. Tenho certeza que elas devem ter alguma lista dos convidados. Precisaremos estudar cada um deles. — Completei.

A poucos centímetros minhas orbes notaram a presença de Mackenzie Looken, figura publica presente em revistas e jornais, além de ser dona daquele luxuoso hotel, com sorte dos deuses a mulher bem vestida seria de grande ajuda e aparecera em momento propício... Ou não. — Srta. Looken, aproveitando que irá nos acompanhar, por favor, poderia solicitar para que os seguranças do hotel disponibilizem a gravação das câmeras do andar em que ocorreu o assassinato? Precisaremos de mais provas possíveis, uma vez que a maioria das dos convidados estavam preocupados em se embebedar. — Não aumentei nem diminui o tom de voz, não havia resquício de nada, apenas uma solicitação válida para a investigação. Precisávamos do maior numero de provas possíveis.

Coloquei a mão no bolso social assim que alguns policiais adentravam o recinto junto da equipe do IML para coletar o corpo. — Jones e Stwards, isolem todo o perímetro para que não contaminem a cena quando a pericia chegar e fazer uma analise mais detalhada. — Ambos se dividiram para acatar a ordem. Brevemente lembrei-me da zona que estaria esperando na porta principal, o que daria uma bela dor de cabeça, além de colocar a face das nossas testemunhas em todos os jornais (se isso já não estivesse na internet, os jovens não colaboravam muito quando se diz respeito a chamar atenção). Respirei fundo com desgosto — Acho que no momento é o que podemos fazer, o restante será feito na delegacia para o estudo de evidências e o relato das garotas. Oriento a sairmos pela porta dos fundos, para evitarmos os paparazzi e tumulto desnecessário. Pegarei o carro e o levarei até o outro lado. — Peguei a chave com a oficial e atravessei a entrada, deparando-me com uma chuva de flash's tampando completamente meu campo de visão, os murmúrios se mesclavam e nenhuma frase conseguia se sobrepor acima da outra, mas tinha certeza que eram perguntas dirigidas a mim. Desviei de alguns e empurrei os microfones que eram postos próximos a minha face. Meu percurso era simples e o cumpri. Abri a porta do utilitário sentando-me no assento do motorista, girando a chave na ignição, o ronco do motor anunciará que o carro estava ligado, sendo assim, fiz a manobra até o ponto de encontro. Não via a hora de chegar na delegacia e tentar de alguma forma desvendar aquele mistério.
avatar
Mensagens : 9

Data de inscrição : 26/07/2016

Policiais
Tayla Green Mitchell
Queens

Postado em Sab Jul 30, 2016 8:28 pm

Depois de ser assustada com uma bandeja inteira de drinks despejada em sua cabeça, Tayla se assustou novamente com a confusão que se formou. Confusa demais para decidir se ficava com raiva ou com medo, a garota prontamente se afastou do corpo que boiava na piscina e, depois de alguns minutos entre outras pessoas aterrorizadas que gritavam e tentavam sair dali, voltou para seu apartamento o mais rápido que pôde.
avatar
Mensagens : 23

Data de inscrição : 24/07/2016

Idade : 19

Localização : Autumn Valley

Queens
Roxy Fayat Ribière
Puta Chorona Chata

Postado em Dom Jul 31, 2016 1:32 pm

high
O resto aconteceu muito rápido.

Roxy limitou-se a somente gritar quando percebeu o que havia acontecido. Mas, devido aos seus reflexos lentos por conta do álcool, o corpo do garoto já boiava na piscina, as pessoas corriam e a assassina fugia; tudo completamente exaustante para uma mente que, àquela altura, não trabalhava direito. Roxy ficou em pé, ainda chocada com o que aconteceu, e se afastou, encostando as costas na parede.

— Que porra é essa? — Murmurou, sua voz saiu rouca e seus olhos estavam percorrendo todos os cantos da festa rapidamente. Roxy nunca havia visto alguém sendo assassinado antes, e a adrenalina do homicídio lhe dava vontade de sair correndo o mais rápido que conseguia. Mas, ao invés disso, ela continuou encostada na parede enquanto a multidão se movimentava de um lado para o outro, todos com olhares assustados e gritos recém-saídos de suas gargantas.

Depois que os policiais chegaram, Roxy tentou dar um depoimento, já que era a mais próxima do alvo quando tudo aconteceu. — Eu não sei... — Respondeu a uma interrogadora, que parecia ter percebido que estava alcoolizada e instável. — Tudo aconteceu muito rápido... Eu só vi ele caindo, e depois os gritos... Eu fiquei muito confusa, não vi nada. — Concluiu. A policial assentiu, parecendo entender que mesmo com o choque a garota não tinha conseguido captar alguma informação importante.

Depois de ser liberada, Roxy meteu a mão no bolso, tirou seu celular, chamou rapidamente um táxi e correu dali, indo logo a sua casa.

avatar
Mensagens : 16

Data de inscrição : 23/07/2016

Idade : 20

Localização : Autumn Valley

Puta Chorona Chata
Harry Franckfurt Michaels
Policiais

Postado em Ter Ago 02, 2016 11:49 pm


Alright bros
Go to Murder Autumn Valley Hotel
Fito Dorothy parado ao lado da mesma, a mão se firma sobre a alça da maleta enquanto viro olhar em direção a Alaska."Sempre linda.. e séria gosto disso, mas o que esconde por trás destes lindos olhos Investigadora?.." Me pergunto enquanto arqueio a sobrancelha, a Oficial sorria de volta perguntando "O quê foi?" eu apenas assenti com a cabeça sorrindo de volta. -Oficial Kaztemburg, eu dirijo. -Digo sorrindo para a mulher enquanto dirigi passos junto a outros Oficiais até o carro que viemos mais cedo, ao porta malas coloco as evidências, após, reviro o olho fitando Kenan da Perícia. -Fala logo amigo, pela suas pálpebras trêmulas, já espero que venha me pedir ajuda. -Falo num tum seco e rude, fitando a ação êmula e nula do Oficial que perdia-se na dedução sorrindo e fitando o chão. -Bem, vou verificar a vítima... alguma dica de que arma foi usada? -Me perguntou de modo retórico, pois todas as testemunhas já apontavam pra uma garrafa de whisky semi-esvaziada. Sorri de canto enquanto cocei o queixo. -Creio que você já tem respostas, Oficial. -Assenti novamente enquanto Dorothy terminava a curta entrevista com o Jornal Local explicando o acontecimento e expondo a postura da Polícia Local sobre a situação.
Sou um detetive que estudei na Russia, base Interpool Center; Não gosto de mídias e nada que roube minha perspectiva de cada suspeito. Cada testemunha dialogava de um modo diferente, minha vontade era poder sentir os batimentos cardíacos de algumas destas. Mas amo o mistério, quem chamarei a depor? Alaska e Dorothy investigavam a todo custo cada vítima, mas e o amigo desta? Jerry de certo era de família poderosa, estava iniciando os estudos para demonstrar ao Pai que tem interesse e ambição, Uma das vítimas demonstrava um grande choque emocional e estava sendo abraçado por um amigo. Andei por dentre algumas pessoas e universitários parando em frente a Joshua. -Prazer... senhor? -Esperei o Universitário me responder seu nome, sorri em seguida. -O senhor poderia mais tarde me acompanhar para Depor? - Lhe pergunto estendendo em seguida um cartão com um número telefônico, além de escuro com uma foto três por quatro de um estigma, simulando a justiça por Nêmesis, a deusa cega que alcunha uma balança e uma espada. -Creio que posso lhe ajudar no que for preciso, certo? - Fito-o no olho passando-lhe confiança enquanto junto a outros Policiais vou junto ao carro esperando Alaska e Dorothy. -Bem, temos muito trabalho para fazer. -Assenti adentrando a parte direita do carro, nesta o volante, Alaska iria na frente comigo e Dorothy atrás desta vez. -Dirijo. -Sorrio de canto, apertando o sinto sobre o torso, enquanto com a destra finco a chave do Corola a pulso, em seguido batendo a chave piso no câmbio puxando a embreagem engatando a segunda marcha, dando partida no carro, que ouvia-se o ronco do motor desde a porta de entrada da festa. -Sem querer ser chato...Mas tenho bons suspeitos e um dia absurdo de papeladas... topam um whisky depois do expediente? -Brinco com as meninas, enquanto contornei a Dawnton indo em direção a Delegacia. "Maravilha... Stephen adorará isso. Arqueio a sobrancelha, saindo dali com as Oficiais e algumas evidências.


- >CONVIDADOS A DEPOR - JOSHUA W. MELBORN;
depois de Josh. >CORA BELIKOV VODIANOVISK
Após Cora. >ROSALINA HOOL LANCASTER
MP com horários por favor, e respeitem a ordem.

avatar
Mensagens : 7

Data de inscrição : 26/07/2016

Policiais
Conteúdo patrocinado

Postado

Página 3 de 3 Anterior  1, 2, 3

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum